16/01/2017

ASSASSIN´S CREED (2016) - Justin Kurzel / Crítica


Data: 

12 de janeiro de 2017 
(1h 56min)

Direção: 
Justin Kurzel

Elenco: 
Michael Fassbender
Marion Cotillard
Jeremy Irons
Brendan Gleeson
Charlotte Rampling
Denis Ménoche
Ariane Labed

Gênero: Ficção científica, Videogame

Nacionalidade: Estados Unidos, França

ASSASSIN'S CREED é um jogo de videogame de muito sucesso feito pela Ubisoft que ganhou agora uma adaptação cinematográfica. A longa metragem se passa no mesmo universo dos jogos, porém possui uma história nova que expande a mitologia da série agregando novos assuntos.

No filme Callum Lynch (Michael Fassbender) está condenado à pena de morte e a empresa Abstergo usa dessa condição para usa-lo como cobaia num experimento de laboratório, que visa leva-lo no passado com a máquina Animus, (Vai te lembrar um pouco AVATAR de James Cameron) e assim descobrir aonde a Maça do Éden está escondida. A Maçã é um objeto que guarda segredos sobre a criação da humanidade e pode ser responsável por mudar o presente e o futuro. É um artefato que poderia cessar o livre-arbítrio e assim dizimar a violência da humanidade.


O filme tem os seus pontos fortes, que são as cenas de Le Parkour e os cenários que remetem ao passado no século 15 e um bom elenco que realmente faz de tudo mesmo com um material raso e por muitas vezes confuso. Você encontra Marion Cotillard do filme A ORIGEM e Jeremy Irons de Eragon. Infelizmente a  falta de um fio condutor na narrativa de Assassin’s Creed deixa sua história cheio de quebra-cabeças difíceis de montar. A preocupação de mostrar conceitos do universo do jogo para garantir aos fãs uma experiência completa, sem pensar em como desenvolver tudo isso realmente, faz esse filme ficar numa exclusividade errônea para quem não sabe nada da franquia.

Na direção temos o inexperiente Justin Kurzel, que possui no currículo "MACBETH: Ambição e Guerra". (Nada a ver com o cara mesmo) Sua direção ainda percebe-se muitos ângulos parecidos. deixando as cenas repetitivas o que atinge a narrativa, deixando a projeção do filme cansativa e sem nenhum tipo de realce.

Mas há o problema básico na concepção, que tenta equilibrar duas linhas temporais de forma paralela por toda a história. O que é um total engano em deixar a história do passado ser menor que a história que se passa no presente. Foi um ponto do filme que deveria ser mais investido. Fiquei sabendo que nos jogos a grande maioria do tempo você está no passado, a maior parte do filme acontece no presente, e eu gostei bem mais da história de Aguilar que é mais atrativa do que a de Callum.

Fiquei sabendo depois de ver esse filme que existe um tal de SALTO de FÉ que é onde um personagem se joga de uma grande altura. Mas eu não senti nenhum tipo de emoção sobre isso. Faltou algo que trouxesse potencia sobre essa cena, me passou muito despercebido. (Talvez nem tenha reparado)


Em resumo ASSASSIN'S CREED Não se trata de um filme ruim. É uma produção mediada que esforça-se tanto para agradar o público de cinema como os fãs do game, mas que que infelizmente não consegue ir além, Mesmo com o carisma de Michael Fassbender que percebe nitidamente seu esforço para alavancar a franquia, não foi suficiente, e novamente mais um filme sobre videogames que não deu certo.


NOTA: 5

PONTO POSITIVO: Quando a história se passa no passado

PONTO NEGATIVO: Informações sem estrutura na narrativa.


Cicero Durães
16/01/2017