25/01/2017

BLADE RUNNER: O Caçador de Andróides


Data:

26 de julho de 1982 
(1h 57min)

Direção: 
Ridley Scott

Elenco: 
Harrison Ford
Rutger Hauer
Sean Young
Daryl Hannah
M. Emmet Walsh
Brion James
Edward James Olmos

Gênero: Ficção Científica

Nacionalidade: Estados Unidos


BLADE RUNNER” é nome designado para CAÇADOR de REPLICANTES. Ele é um detetive especializado em identificar um replicante seria via um teste de perguntas e respostas conhecido como  "VOIGHT KAMPFF" pois os replicantes não possuem sentimentos.

REPLICANTES são seres humanos criados em laboratórios se diferenciando pelo fato de não possuírem sentimentos. No entanto, seus criadores perceberam que após alguns anos de existência, eles desenvolveram pensamentos próprios, e tomaram consciência de sua existência.

O detetive Rick Deckard (Harrison Ford) recebe a missão de caçar quatro replicantes rebeldes de um modelo especial que em muito se assemelha aos humanos e que é dotado de grandes capacidades intelectual e física. desertores que fugiram após uma rebelião. Esses seres criados artificialmente,  faziam parte de uma colônia espacial e retornaram ao planeta Terra com a intenção de encontrar seu criador e, após serem tratados como delinquentes, demonstram ter mais humanidade que seus fabricantes.

Entre os poucos replicantes que ainda restam estão Roy (Rutger Hauer) e Pris (Daryl Hannah), que buscam seu inventor para ganhar mais tempo de vida, e Rachel (Sean Young), que em um primeiro momento serve como objeto de estudo, mas aos poucos cria uma relação particular com Deckard.

Sua história é situada em Los Angeles futurista no ano 2019, onde o céu aberto e o sol deram lugar à escuridão e a chuvas constantes, em uma metrópole com contornos amedrontadores. Nesse cenário, e com um clima futurista “noir”,

Um filme que levanta muitas questões filosóficas e éticas, provocando reflexões sobre os conceitos de humanidade, e mostrando um mundo tecnológico possível no futuro, um reflexo real do que podemos esperar da vida no nosso planeta. Possui diálogos profundos, trazendo intensas conversas que valem a pena prestar atenção. O livro explora essas questões com mais profundidade e é altamente recomendável para aqueles que apreciaram esse filme. Baseada no conto “Androides Sonham com Carneiros Elétricos? do escritor Philip K. Dick.

A verdade é que “Blade Runner” era um filme muito à frente de seu tempo – o que, na opinião do diretor Ridley Scott, é algo tão ruim quanto estar atrasado no tempo. A visão totalmente sombria de um futuro distópico, onde o planeta foi reduzido a uma terra arrasada sob constante chuva ácida e os animais já estavam extintos, não agradou a platéia daquela época, acostumada com uma leitura mais agradável do futuro da humanidade.

Blade Runner conta com várias versões porém a versão definitiva foi somente apresentada em 2007 com o corte final do diretor assim o consagrando como uma das obras mais significativas no mundo da ficção científica e se tornando referencia para o universo Cyber Punk.

O desfecho deixa a desejar: lento e inesperado, representa um quebra narrativa que deixa seu clima cair muito mesmo que induza a muitas reflexões interessantes. Toda a história ocorre num único dia da vida do protagonista. Deixando a grande polêmica que permeia até hoje: será que Deckard é também um replicante? Ridley Scott deixou o filme com algumas dicas (dúbias) que levam a crer que o detetive era realmente um replicante. O sonho com o unicórnio cujo arco se completa na última cena com o origami deixado pelo mesmo Gaff em seu apartamento deixa muitas pessoas intrigadas.

Esse subtitulo CAÇADOR de ANDROIDES usado apenas no Brasil não faz nenhum tipo de sentido porque androides são mecanismos cibernéticos para definir ROBÔS. REPLICANTES são organismos que se aproximam do que pode ser considerado CLONAGEM. Mesmo assim, detalhes que passam desapercebido por muita gente.

BLADE RUNNER: O Caçador de Androides é uma ficções científica que virou cult no cinema, por causa de sua passagem no tempo, e pela maneira como levanta as questões sobre a condição da existência, sua visão futurista no que ocorre atualmente. O filme de 1982 que já falava de aquecimento global, poluição, superpopulação, escassez de água e combustíveis, extinção de animais, consumismo desenfreado e o domínio de corporações sem esperança num mundo que caminha para a autodestruição a passos largos.

NOTA: 8

PONTO POSITIVO: Estética Visual e Roteiro
PONTO NEGATIVO: Trama arrastada em alguns pontos

Cicero Durães
25/01/2017